Quarta, 25 de Abril de 2018

Artigos

Conflitos, causas e sintomas.

CONFLITO:

O conflito pode ser gerado por diversos fatores e causas, alguns exemplos abaixo:

•    Veto de operação;
•    Recompra sem informar o gerente;
•    Operação enviada fora do horário estipulado;
•    Exclusão de sacado sem previa informação;
•    Falta de informações necessárias para a análise e pagamento da operação;
•    Cliente / gerentes que ocultam e omitem informações;
•    Falta de comunicação;

Existem muitos casos em que possam gerar um conflito entre as áreas. Mas antes de examinarmos as causas, precisamos conhecer os sintomas. Alguns exemplos abaixo:

•    Comunicação deficientes, quando as decisões são tomadas a partir de informações erradas;
•    Hostilidade e inveja, quando se evidencia afirmações equivocadas, providas de julgamentos de valor, preconceitos e raiva, que em nada acrescentam ou trazem soluções, sendo afirmações totalmente dispensáveis. Na minha visão este é um dos maiores sintomas.
•    Proliferação de regras e regulamentos, normas e mitos, “BUROCRACIA”, onde a cada vez que vai fazer um procedimento, fica desdenhando os regulamentos e fazendo piadinhas.
•    Moral baixa, onde a frustração e ineficiência acabam que refletindo nas ações, analisando operações de forma ineficaz, não utilizando as suas ferramentas disponíveis. 

Para evitarmos estes sintomas e causas temos que tomar algumas atitudes, e algumas são mais simples do que imaginamos.

COMUNICAÇÃO -     o gestor deve integrar as equipes para resolver e evitar conflitos, deve manter próximo de cada área e ter conhecimento de suas atividades. Muitos conflitos podem ser evitados com uma simples conversa, expondo argumentos e mostrando as ideias e processos a cada envolvido.

PONDERAÇÃO – ouvir atentamente todos os lados envolvidos e fazer com que todos conversem entre si, tentando achar a melhor forma de resolver um problema, busque sempre a melhor solução para todos, não prejudique e não tome partido para nenhuma área. Existe uma expressão que se chama win win, que é que ambos os lados saiam ganhando, mesmo que pelo aprendizado. Claro que nem sempre será possível, mas é bom ter em mente estratégias para resolução de possíveis conflitos.

FRUSTRAÇÃO DE EXPECTATIVAS – Ao criar uma resolução que seja melhor possível para ambos os lados é preciso tomar cuidado, pois esta decisão tem que visar o melhor para a empresa, com isso pode frustrar alguma das áreas, pois querem sempre puxar a “sardinha” para o seu lado, neste caso é preciso ter habilidade em explicar que a decisão final foi o melhor para a empresa. A transparência contribui bastante na mediação de conflitos.

RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS – nunca adie um problema, um dos principais erros é adiar o problema esperando de que alguma maneira ele se resolva sozinho, diagnosticou um conflito é preciso sentar e ouvir as partes e resolver com cada um integrante. Evite que os impasses tomem grandes proporções e principalmente que uma disputa de ego acabe entrando em jogo, sendo rápido e incisivo na resolução dos conflitos, dificilmente eles tomarão grandes proporções.

Estou no mercado há mais de 10 anos e acompanhei muitos conflitos, onde cada área quer o melhor para si, e me perguntava porque isto acontece constantemente? Até participar de um conflito, e não é legal, pois mexe com outras pessoas, a minha sorte é que os meus gestores tiveram habilidade de resolver a situação na hora e foi resolvido mesmo, porque tem muitas vezes que falam que está resolvido, mas não está de fato, o caso sai da esfera profissional e entra na esfera pessoal, é complicado, pois o gestor terá trabalho dobrado para resolver a situação.

Como podemos ver conflitos sempre vão existir, os motivos que geram são as vezes são banais, pois mexem com ego das pessoas, por isso é imprescindível o papel do gestor, é ter habilidade para contornar e não deixar que estes conflitos gerem guerras no qual fuja de seu controle. 

Alguns gestores gostam do conflito, pois acreditam que o negócio cresce porque quando duas áreas começam a pensar igual uma delas deixam de ser necessárias, na minha visão é possível lidar com a divergência de opiniões sem gerar este conflito, porque ele é danoso aos envolvidos e chega uma hora que não vai ter como administrar.

Espero que o artigo posso ajudar a você enxergar e administrar melhor os departamentos interligados paralelamente, para ter uma empresa solida e todos com o mesmo pensamento de evolução para a empresa.


Eduardo de Brito
Eduardo de Brito

33 anos, formado em Administração de Empresas pela ESAGS FGV em 2007, atua no mercado financeiro desde 2006, como Assistente Financeiro, hoje responsável pelas áreas administrativa, financeira, mesa de operações e cobrança do Grupo LOTUSPAR. 

Compartilhe: