Sexta, 25 de Maio de 2018

Artigos

Factoring e Securitização: O que financiamos às nossas empresas clientes?

O setor de empresas compradoras de recebíveis, onde se encontram as factorings e securitizadoras, apesar de ser essencialmente comercial acaba por financiar as empresas clientes, resolvendo os problemas financeiros imediatos causados por diversos motivos. Este artigo pretende tratar sobre a causa inicial que motiva as empresas clientes a ter problemas financeiros que as levam a antecipar seus recebíveis, bem como os riscos inerentes a cada um destes motivos.

Entendo ser de suma importância que a factoring ou securitizadora saiba exatamente o motivo para o qual o seu dinheiro está sendo utilizado por sua empresa cliente. É certo que as empresas possuem dificuldades diversas, algumas de cunho administrativo, outras de vendas, de precificação, de mercado, de sazonalidade, dentre outras.

Veja que numa primeira análise podemos dizer que sempre financiamos os problemas financeiros das empresas clientes. E aí vai outra pergunta: qual a causa dos problemas financeiros de sua empresa cliente? Bem, essa é a essência deste artigo e posso lhes dizer que certamente sua empresa deverá estar financiando várias causas totalmente diferentes, com riscos diferenciados em cada uma delas.

Pergunto ao leitor se você sabe qual causa sua empresa financia para cada cedente? Todos seus cedentes financiam a resolução do mesmo problema? Mas, para que devemos saber se há motivos diferentes? Costumo dizer nos cursos que realizo: as perguntas são mais importantes que as respostas, por isso sempre estou perguntando aos outros e a mim também.

Estamos acostumados a ouvir que esta ou aquela empresa está com problemas financeiros. Será que as empresas possuem problemas essencialmente financeiros ou a questão é um pouco mais profunda? Tenho o entendimento que as empresas, na sua grande maioria, não têm problemas financeiros, digo que os problemas reais estão num estágio anterior e somente aparecem no setor financeiro. A falta de dinheiro é a consequência, precisamos conhecer a causa!

Certamente sua factoring ou securitizadora terá situações em que seus clientes precisam financiar uma má gestão, uma sazonalidade na alta venda, uma sazonalidade na baixa venda, os efeitos de uma crise econômica nacional ou setorial, o crescimento da empresa ou até mesmo um golpe (tomara que não).

Novamente pergunto a você leitor se o risco de financiar cada uma destas causas é o mesmo? Será que financiar uma má gestão tem o mesmo risco que financiar o crescimento da empresa? Permito-me dizer que os riscos são bem diferenciados, por isso devemos identificar muito bem a causa que gera o problema financeiro da empresa cliente para gerenciá-los de forma diferenciada.

Segundo a ISO 31000:2009, risco é sempre o efeito da incerteza sobre alguma situação, portanto não saber (ter a incerteza) os motivos que está levando a empresa cliente necessitar de financiamento pode ser um complicador muito importante para a boa gestão dos riscos envolvidos nas operações.

Ainda, seguindo o que nos ensina a boa gestão de riscos, podemos gerenciar os riscos de quatro formas diferentes: eliminar, atenuar, transferir e/ou reter. A eliminação dos riscos seria a negativa de operar; a atenuação seria realizar procedimentos capazes de diminuir a probabilidade de ocorrência ou o impacto negativo de um risco; a transferência seria trazer em parte ou no todo a responsabilidade de terceiros para o negócio e reter seria provisionar um valor para custear eventual perda.

A falta de informações adequadas gera incerteza quanto à qualidade dos cedentes e de suas operações. Devemos ser inteligentes na condução do relacionamento com nossos cedentes, buscando sempre o conhecimento amplo e profundo de todas as situações que nos oferecem riscos. A solução sempre está no bom trabalho de busca das informações e na boa condução do relacionamento entre as partes.

Lembre-se que nossa atividade (venda de dinheiro) não convive bem com a reatividade nas ações. Seja proativo! Vá atrás das informações necessárias para bem avaliar os riscos, retire ao mínimo as incertezas (riscos) das operações, identifique corretamente o motivo pelo qual sua empresa cliente vende seus recebíveis e gerencie bem os riscos reais de cada operação.

Sucesso!


Ernani Desbesel
Ernani Desbesel

Ex-empresário de Factoring
Advogado Especialista na Prevenção de Riscos
MBA em Gestão Estratégica de Factoring
Palestrante em 8 (oito) Cursos sobre Factoring e Securitização
Articulista e Administrador do Portal do Factoring e do Portal Fomento
Consultor de Empresas de Factoring, FIDC e Securitização
Auditor Certificado da ISO 31000:2009 – Gestão de Riscos (QSP)
Professor da Academia de Crédito Serasa Experian
E-mail para contato: desbesel@terra.com.br

Compartilhe: