Sexta, 16 de Novembro de 2018

Notícias

Fomento Comercial comemora 30 anos sem perfil financeiro

23/10/2018 - Fomento

Editada em 1988, a Circular nº 1.359, do Banco Central, foi relembrada na última sexta-feira (19/10), em São Paulo, após a penúltima reunião do ano do Conselho de Administração da Associação Nacional de Fomento Comercial (ANFAC).

Graças a esse dispositivo legal, o setor perdeu a conotação financeira, atribuída por outra circular, a de número 82. Isso lhe abriria caminho para o atendimento oferecido até hoje às pequenas e médias empresas, agora também por meio das securitizadoras de crédito e FIDCs.

“Essa reformulação requereu uma luta de seis anos, tendo em Luiz Lemos Leite seu grande batalhador”, recordou o jurista Ives Gandra da Silva Martins, que à época presidia o 1º Conselho de Ética da Associação, de onde acompanhou de perto todo esse processo.

Segundo ele, o novo enfoque dado à atividade auxiliou em muito o desenvolvimento das pequenas e médias empresas, ao invés de reciclar o dinheiro do povo, como faz o sistema financeiro. “Abriu-se um leque enorme, uma diáspora extraordinária e a economia se fortaleceu”, afirmou.

Essa opinião é compartilhada pelo presidente do SINFAC-SP, Hamilton de Brito Junior (Credere Consultoria e Fomento Mercantil). “O setor ficou tão grande que o próprio Banco Central, quando há alguns anos foi cogitado de as factorings serem reguladas por ele, reconheceu não dispor de estrutura suficiente para tal”, observou.

Contudo, no entender do empresário, o melhor caminho não seria mesmo esse, mas sim o da autorregulamentação, o que na prática acabou conduzindo o setor ao seu sucesso atual.

Um êxito que Luiz Lemos Leite ilustra com o fato de, mesmo diante do longo período de incertezas atravessado pelo Brasil, a economia não sucumbiu por completo, justamente graças ao setor, no qual ele aponta como grande desafio do momento a entrada definitiva no mundo da desmaterialização, cenário onde aderir a plataformas digitais mostra-se indispensável.

Encerrando os trabalhos, Ives Gandra da Silva Martins brindou a todos com uma análise detalhada da atual campanha presidencial, comentando as estratégias adotadas pelos diferentes candidatos desde o início, e as perspectivas do país após o segundo turno das eleições, em 28 de outubro.

Dentre suas convicções, a inexistência de espaço para um possível golpe militar, cabendo a essa esfera do poder um papel exatamente contrário, que inclui a salvaguarda da Constituição.

Fonte: Reperkut

http://www.sinfacsp.com.br/noticia/fomento-comercial-comemora-30-anos-sem-perfil-financeiro

Compartilhe: