Sexta, 16 de Novembro de 2018

Artigos

A visão positiva do risco no factoring

Uma visão míope do risco pelas empresas, principalmente de factoring, poderá levar a crer que a única maneira de obter sucesso nos negócios é fugir da exposição ao risco o máximo possível.

Ouso discordar desta premissa muito utilizada no nosso setor. Creio que devemos observar os dois lados do risco – o positivo e o negativo – o que nem sempre é percebido facilmente.

Cabe, antes de discutirmos sobre ambos, conceituarmos o que é risco, que nada mais é do que a combinação da probabilidade de acontecer um evento e de suas consequências.

E, se o risco depende de uma combinação entre a probabilidade e a consequência deste podemos dizer que factorings diferentes, diante de uma mesma operação, poderão correr riscos diferenciados.

A simples exposição ao risco, não significa a mesma probabilidade de perda para factorings que tomam cuidados diferenciados. O perigo de acontecer o evento danoso (vícios, fraudes, outros) estará diretamente relacionado com a capacidade da factoring em mitigar sua probabilidade e seus efeitos.

Aí é que entra a prevenção, que é o ato ou efeito de prevenir(-se), que por sua vez significa dizer ou fazer antes, antecipar, precaver, acautelar, evitar.

Mas, voltando ao risco do factoring, temos dois lados a serem examinados: o negativo e o positivo.

O lado negativo, mais conhecido e temido, é o lado “puro”, ou seja, aquele em que, numa determinada situação, estamos expostos a uma possível de perda, prejuízo, golpe e aí por diante.

O lado positivo é a oportunidade de negócios em clientes e setores que são pouco explorados pelos concorrentes, normalmente o que melhor remunera o capital, fato muito bem recepcionado pelas empresas competitivas.

Se fizermos uma estatística a respeito observaremos que a realidade aponta para uma quase totalidade de empresas enxergando somente o lado negativo do risco, valorizando muito mais a possibilidade de perda que as oportunidades de ganho.

Normalmente, o receio de perder é mais forte que a expectativa de ganhos e isto é próprio do ser humano, porém, se estivermos preparados para enfrentar situações mais potencialmente perigosas, certamente estaremos diante de uma oportunidade de lucro melhor que os concorrentes.

O enfoque positivo do risco deve ser precedido de um melhor preparo, em todas as áreas. O profissionalismo, o treinamento, o planejamento e o conhecimento devem estar associados a uma vontade de prevenir, de ver antes, de antecipar situações e isso só se consegue quando se está preparado, motivado e estruturado.

As vulnerabilidades – que se encontra suscetível ou fragilizado numa determinada circunstância - devem ser conhecidas e corrigidas.

O risco deve ser gerenciado, por isso de ser conhecido. As políticas, procedimentos, diretrizes e práticas do dia-a-dia da factoring deve ser completa e tendente a prevenção e redução das fragilidades.

Somar atitudes que busquem a prevenção das perdas com outras que maximizem os ganhos deve ser o norte perseguido.

O empresário de factoring deve orgulhar-se de evitar perdas, mas até aí somente percorreu a metade do caminho, se é que fez negócios. O verdadeiro lucro está no fazer negócios rentáveis e melhores que os concorrentes, e isso somente se consegue se também olharmos para o lado positivo do risco.

Na medida em que a factoring estiver preparada, poderá enxergar o risco positivamente, como oportunidade, e  fazer a pergunta: o que minha factoring consegue prever de riscos que pode levar a uma maior lucratividade?

Desta forma, podemos dizer que ao gerenciar corretamente os riscos e enxergá-los positivamente estaremos maximizando as probabilidades de ocorrência de oportunidades e, principalmente, de lucros.

Para finalizar, gostaria de deixar um exercício de português como “tema de casa” para aqueles que queiram buscar as oportunidades nos riscos. Conjuguem os verbos a seguir, na primeira pessoa do plural do presente do indicativo (cuidado! Nunca no pretérito imperfeito do subjuntivo), conjuntamente com todos os colaboradores da factoring, todos os dias antes de iniciar os trabalhos: prevenir, antecipar, planejar e, principalmente, lucrar.


Ernani Desbesel
Ernani Desbesel

Ex-empresário de Factoring
Advogado Especialista na Prevenção de Riscos
MBA em Gestão Estratégica de Factoring
Palestrante em 8 (oito) Cursos sobre Factoring e Securitização
Articulista e Administrador do Portal do Factoring e do Portal Fomento
Consultor de Empresas de Factoring, FIDC e Securitização
Auditor Certificado da ISO 31000:2009 – Gestão de Riscos (QSP)
Professor da Academia de Crédito Serasa Experian
E-mail para contato: desbesel@terra.com.br

Compartilhe: