Quinta, 18 de Outubro de 2018

Ação Social

A luta de quem não desiste nunca

Abrir o coração e salvar vidas. Esta mensagem, assinada pela AMO – Associação de Assistência ao Menor em Oncologia, conta histórias de lutas e vitórias. E resgata um problema: o câncer infantil, que afeta e desestrutura famílias de todas as classes sociais, sendo que mais de 90% da população atingida não tem condições de bancas as despesas do tratamento. A alternativa de ficar na fila, à espera de ajuda, pode significar a perda da chance de cura.

A Associação, com sede em Novo Hamburgo, surgiu da necessidade de se garantir o tratamento a tempo, a partir da identificação precoce da doença. Uma rede de profissionais e voluntários, inclusive de outros centros, em outras cidades, trabalha solidariamente dia e noite para que nenhuma mãe tenha que chorar a perda do filho e a dor de não ter recebido o tratamento que a medicina moderna coloca à disposição.

A AMO promove, desta forma, atendimento multidisciplinar para assegurar melhor qualidade de vida aos pacientes. Para isso, um ambiente  com aproximadamente 200 metros quadrados foi construído com recursos da comunidade e abriga a nova sede da associação, no bairro Hamburgo Velho. Lá, as crianças recebem atendimento em consultórios médico e odontológico, participam de oficinas, recreação e têm à disposição uma sala de informática. A AMO apóia, ainda, as famílias na realização de exames e no fornecimento de medicamentos e, paralelamente, realiza atividades de integração e confraternização.

Pequeno grande guerreiro - Toda esta estrutura precisa de recursos de forma permanente. Para isso, a entidade elabora projetos, busca parcerias e abre a possibilidade de apoio também via Portal Social. O garoto Heron, seis anos, é um dos símbolos da luta desenvolvida pela instituição. Chamado de “O Pequeno Guerreiro”, ele sofre de uma doença rara chamada osteopetrose, cujo diagnóstico, cinco anos atrás, era de apenas seis meses de vida. Sua história clínica registra dez fraturas em menos de quatro anos e a necessidade de receber sangue uma vez por semana. Com o fígado e o baço aumentados, Heron tem dificuldade para respirar e enfrenta perda da visão. Mas sua luta não é em vão, nem ele está sozinho.

Uma grande equipe luta com ele e não deixa que desista antes do tempo. A doença cruel exige qualificação dos profissionais que com ela lidam e uma estrutura muito grande para garantir conforto e qualidade de vida a pacientes como Heron. E quando o Portal Social é acionado, muitas portas se abrem, para apoiar a luta não apenas deste pequeno guerreiro, mas também de outros tantos pacientes atendidos pela AMO. Clique e contribua com este projeto.
 
Por Nelcira Nascimento – Redação Solidária - Portal Social
www.portalsocial.org.br

Compartilhe: